Por que meu gato está perdendo peso? Perguntas frequentes sobre hipertireoidismo felino

Como você trata o hipertireoidismo em gatos?

O hipertireoidismo é a doença endócrina mais comum em gatos de meia idade e mais velhos (ou geriátricos); a causa da doença é muitas vezes desconhecida. A doença é caracterizada pelo crescimento celular anormal em um ou ambos os lobos da tireóide e interrompe os níveis hormonais essenciais para regular a função normal dos órgãos, o crescimento esquelético e muscular e o metabolismo. A glândula tireóide fica na frente do pescoço e seus lobos estão posicionados em ambos os lados da traquéia do gato. A glândula é responsável por produzir e liberar hormônios da tireóide que circulam na corrente sanguínea.

Vídeo: Tratamento com Iodo Radioativo para Gatos

Sintomas de hipertireoidismo em gatos

  • Taxa metabólica aumentada
  • Perda de peso apesar do aumento da fome
  • Hiperatividade
  • Aumento da micção e sede (poliúria e polidipsia)
  • Vômitos e diarréia
  • Nervosismo e excitabilidade

Em casos crônicos, o seguinte pode estar presente:

  • Aumento da frequência cardíaca (taquicardia secundária)
  • Sopros cardíacos
  • Pressão alta (hipertensão)
  • Coração aumentado (cardiomegalia)
  • Excesso de líquido nos pulmões (edema pulmonar)
  • Excesso de líquido ao redor dos pulmões (derrame pleural)

Como vou saber se meu gato tem um problema de tireóide?

A maioria dos pacientes no exame físico exibe tumores benignos da tireoide, enquanto uma pequena porcentagem pode ter tumores malignos da tireoide. A sinalização de um gato (idade, raça, sexo), histórico de saúde, resultados de exames físicos e resultados de laboratório podem revelar sinais clínicos e bioquímicos sugestivos de níveis não saudáveis ​​da tireóide.

Os hormônios tireoidianos afetam a maneira como seu gato metaboliza proteínas, carboidratos e ácidos graxos; portanto, se houver quantidades excessivas de hormônio tireoidiano, ocorrerá catabolismo protéico ou a quebra de aminoácidos essenciais, levando ao desperdício.

Um exame físico em casos crônicos de hipertireoidismo pode revelar taquicardia secundária (aumento da freqüência cardíaca), sopros cardíacos, hipertensão (pressão alta) e outras doenças. As radiografias do tórax podem mostrar cardiomegalia (coração aumentado), edema pulmonar (excesso de líquido nos pulmões) ou derrame pleural (excesso de líquido ao redor dos pulmões). A doença requer diagnóstico, monitoramento e manejo curativo ou paliativo.

Como é diagnosticado o hipertireoidismo em gatos?

Existem três métodos comuns que um veterinário usa para diagnosticar hipertireoidismo em gatos:

  • Exame físico (palpação)
  • Radiografias 3D do tórax
  • Teste sérico T4 (amostra de sangue)

No processo de doença do hipertireoidismo, os nódulos da tireóide crescem continuamente e secretam quantidades anormais de hormônio. A concentração de tiroxina ou T4 é usada em testes de diagnóstico sensíveis para determinar se um gato é hipertireoidiano. Os níveis de T4 são diagnósticos em mais de 90% dos gatos. Cerca de 10% dos gatos com hipertireoidismo apresentam concentrações séricas normais de T4. Os intervalos T4 variam fora dos parâmetros normais (ao longo de dias, em vez de horas), e os diagnósticos podem precisar ser repetidos. As radiografias de tórax em 3D também são usadas para confirmar câncer de tireóide metastático e para confirmar um diagnóstico juntamente com os achados clínicos.

Tratamento para hipertireoidismo em gatos

  • Metimazol: O metimazol é um medicamento antitireoidiano comum usado para bloquear a síntese de hormônios tireoidianos e diminuir os níveis hormonais que circulam no corpo; as concentrações hormonais podem cair dentro da faixa normal após um mês de tratamento.
  • Cirurgia ou tireoidectomia: A tireoidectomia de um ou ambos os lobos da glândula é outro método alternativo de tratamento para o hipertireoidismo associado à terapia hormonal ao longo da vida. Uma tireoidectomia envolve a remoção das glândulas através de cirurgia.
  • Gerenciamento Dietético: O gerenciamento dietético do hipertireoidismo pode ser eficaz limitando os níveis de iodo e pode reverter o processo da doença. A nutrição com baixo teor de iodo reduz a produção de hormônios T4 e simultaneamente ajuda a manter a urina em um pH ideal.

A terapia radioativa com iodo funciona?

O iodo radioativo é o tratamento de escolha para o hipertireoidismo e geralmente é realizado em práticas especializadas e instalações licenciadas. O tecido anormal da tireóide absorve o 131-I radioativo e subsequentemente destrói o tecido.

Uma dose única de radioiodo geralmente restaura a função da tireóide sem induzir hipotireoidismo. As doses são determinadas com base nas três margens a seguir:

  • Captação pela glândula
  • Taxa de liberação de radioiodo da glândula
  • A massa da glândula.

O radioiodo é efetivamente administrado por via intravenosa, subcutânea ou oral. O radioiodo administrado por via subcutânea geralmente é eficaz em seis meses após o tratamento. O iodo de sódio aquoso I-131 usado para administração oral é esterilizado e depois diluído em uma seringa com cloreto de sódio a 0, 9% para administração sob a pele.

Prognóstico

Com cuidados e tratamento veterinários adequados, o prognóstico para hipertireoidismo felino geralmente é bom. Casos graves e não tratados podem ser fatais, e é por isso que é importante considerar suas opções e conversar com seu veterinário.

Fontes

  • Bassert, Joanna M. e Thomas Colville. "Anatomia Clínica e Fisiologia." Manual de Laboratório para Técnicos Veterinários. Missouri: Mosby, 2009.
  • Bassert, Joanna M. e Thomas Coleville. "Anatomia Clínica e Fisiologia para Técnicos Veterinários". 2ª ed. Missouri: Mosby, 2009.
  • Bassert, Joanna M. e John A. Thomas. "Livro Clínico de McCurnin para Técnicos Veterinários". 8ª ed. Missouri: Saunders, 2014.
  • Becker, David V. e Mark E. Peterson. "Tratamento radioiodado de 524 gatos com hipertireoidismo." JAVMA 1 de dezembro de 1995: 207.11 1422-1428.
Etiquetas:  Répteis e anfíbios Animais Agrícolas-Os-Animais Animais selvagens